IrreveЯsível

infinit(esimal)mente… cada fôlego.

Traidor

Posted by P.R.Lobo on Thu February 1, 2007

Não adiantou…
Apesar de todos os esforços…
Engenhos e mecanismos de contenção…
Não resistiu…
E traiu a si mesmo.

Advertisements

Posted in γ | 1 Comment »

Desolado

Posted by P.R.Lobo on Wed January 31, 2007

E agora…
Sem nada…
Nem para onde ir…
Onde quer que olha…
Desolado…
Senta e chora…
A desolação é surda.

Posted in γ | Leave a Comment »

Errado

Posted by P.R.Lobo on Tue January 30, 2007

Como nada é certo?!
Sabe muito bem…
Deveria estar bem longe.
Mas, deixou-se ficar…
Em vida errada.
Quer reclamar?…
É mesmo muito persistente…
Em ser um erro.

Posted in γ | Leave a Comment »

Árido

Posted by P.R.Lobo on Mon January 29, 2007

Não pode ser…
Qualquer lugar…
Que valha a pena…
Para onde leva…
Esta vida ressecada.

Posted in γ | Leave a Comment »

Presa

Posted by P.R.Lobo on Sun January 28, 2007

Tolo!
Sua carne é tudo…
Que terá de mais real.
Corra!…
O mais que puder.
A verdade é carnívora.

Posted in γ | Leave a Comment »

Posted by P.R.Lobo on Sat January 27, 2007

Endurece…
E aperta…
Dói o peito.
Queria alguém que abrisse…
E arrancasse o nó.

Posted in γ | 1 Comment »

Frustrado

Posted by P.R.Lobo on Fri January 26, 2007

À boa hora da partida…
Esperou tanto…
Que passou do tempo.
Agora, estragado, fica aí…
Insuportável suportando…
O dia-a-dia que lhe parte devagar…
De dentro para fora…
Rumina o grito…
De dor…
De raiva.

Posted in γ | Leave a Comment »

Se…

Posted by P.R.Lobo on Thu January 25, 2007

Matar o gosto ruim…
Da própria boca…
Em outra quente e temperada.
A vida todo-azeda admitiu…
Tudo poderia ser diferente…
Se estivesse apaixonada.

Posted in γ | 1 Comment »

Reza

Posted by P.R.Lobo on Wed January 24, 2007

Eu… sou… uma seta perfurante!…
Eu… sou… uma seta perfurante!…
Eu… sou… uma seta perfurante!…

Posted in γ | 1 Comment »

Assombrado

Posted by P.R.Lobo on Tue January 23, 2007

Anda entre eles sem jeito…
Engasgando… tropeçando.
Quando te enxergam, viram o rosto… é nauseante.
E você pede desculpas… é nauseante.
Ai, que sombra…
Que anda por aí tentando ser gente…
No meio de gente.
Desagrada: incomoda: repugna.
Fracasso, todo, sempre.
Você mesmo já sabe…
Que não é gente há muito tempo.
Está fora…
E aí fora sente-se tão só.
Às vezes chega até a pensar…
Que nasceu do lado errado…
Do escuro.

Posted in γ | Leave a Comment »